segunda-feira, 3 de março de 2008

Igreja vã gélica


Sua liturgia não urge mais.
Seus p-atores iludem a platéia
e hino-portuna é sua música.
Seu sermão deixou de ser mão.
Sua mensagem é vã gelho
e em suas orações
o sujeito vai à frente do Verbo.
Em seus cálculos
o dízimo múltiplo comum
determina o x do cristão.
Confundistes:
“Amar o próximo como a si mesmo...”
com “amar a si mesmo, comer o próximo.”
Sua palavra já não lavra nada.
Seus jejuns alimentam egos
e seu criador cria dor...
Sua pregação não proclama o Reino;
sua pregação reclama o rei na barriga...
Já não te crêem crente.

6 comentários:

Volney Faustini disse...

Muita verdade em poesia e na brincadeira das palavras.

Enxergas o que não vemos e escreves como não escrevemos.

E no final concordamos com o retrato que pintastes - ou melhor postastes!

Wilson Tonioli disse...

Valeu Volney, muchas gracias.

Anônimo disse...

Wilson, muito bom. Direto e reto. E com bela poesia.

Abs.
Elder.

Alice disse...

Verdade, verdadeiro, cru e real!...muuuuiiiito bom, e ponto final.
Abraços
Alice

William Augusto disse...

Jeremias 17:18
Envergonhem-se os que me perseguem, e não me envergonhe eu; assombrem-se eles, e não me assombre eu; traze sobre eles o dia do mal, e destrói-os com dobrada destruição.

Mateus 5:44
Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;

Deus vos Abençoe.

Nuno Fonseca disse...

Ao ler a tua poesia pondero quantos mais trocadilhos ortográficos podem ainda serem inventados para ilustrar uma realidade global da forma mais obtusa, míope e subjectiva possível.

Deves ponderar se a tua des-crença (lol) em Deus é logicamente fundada em homens, que, bem ou mal, lutam pelo seu arrependimento perante o Salvador.

Também não compreendo a confusão que fazes entre a igreja evangélica e a IURD, mas pronto.

Deus te abençoe no exame da tua fé.