quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Amo Amy



O que me deixa puto mesmo – desculpem, talvez “indignado” seria melhor palavra e caberia melhor a um bom cristão (o que não sou) - é como a sociedade se alimenta da carniça do outro como dieta para se sentir saudável. Urubus que acreditam que o que está em decomposição faz bem à cútis. Vermes que devoram por dentro, deixando oca a vida de qualquer um que tenha caído, deixando-a sem passado, sem história, sem memória... Acreditam que assim suas reputações ganham rigidez, tal qual fica rígido o abdômen de alguém de tanto “malhar”.
Tem circulado através de e-mails pelo mundo inteiro, fotos da cantora e compositora londrina Amy Winehouse, ganhadora de cinco Grammy Awards, onde se exibe a transformação decadente, que julgam ser física e moral, que sofrera nos últimos meses.

Graças a Deus, já não encaminham para mim essas coisas. Vejo na máquina de colegas que me mostram. Tento dizer a eles que a tela do monitor é um espelho... Nada respondem. Irritado, digo que é fácil acabar com a vida de alguém hoje, espalhando fotos, ignorando fatos... Aí começo a criar um clima; desfavorável. Digo que nós precisamos dessas imagens para nos sentir melhor, que quanto mais ela estiver suja, detonada e louca, mais nos acharemos limpos, irrepreensíveis e sãos... Nesse momento os caras já dispersam, uns, na boa, se revoltam comigo, mas cada um volta pro seu trabalho... Sinto-me como um peido: o que desfaz qualquer roda de conversa.

Engraçado que todos – especialmente os cristãos - acham lindo aquele episódio narrado no Evangelho segundo S. João, em que levaram a Jesus uma mulher flagrada em adultério e como todos que a queriam condenar ficam desconcertados com uma única frase do Mestre. Todo mundo conhece. Que lição ficou para a humanidade! Só que continuamos com o mesmo jeito de ver as coisas e pessoas. Hoje não apedrejamos, mas temos a mídia, os e-mails, que são bem mais doloridos e penosos que pedras, pois matam mais devagar. Muitas vezes, o que é bem pior, alguém é assassinado sem morrer.

Como não tenho a paciência e a inspiração de Jesus, de ficar escrevendo na areia enquanto o teatro da hipocrisia se manifesta, vou soltando os cachorros e os demônios pra cima de todo mundo. Como nada disso tem a força de uma só palavra dEle, a única coisa que consigo é ganhar a antipatia de muitos. Só não sou crucificado porque também tenho meus mecanismos – hipócritas – de defesa e nem sou, ainda, tão louco e tão corajoso assim. Quem sabe um dia.

Chega de falarmos que Deus ama o pecador mas odeia o pecado. Pregamos isso porque só sabemos fazer separar pessoa de pecado. Deus ama o pecador, e pronto. Deus ama Amy, e ponto.

4 comentários:

Levi Nauter disse...

Tchê, que bom ler teu texto.

Senti o mesmo ao receber um bobo e-mail sobre o assunto. Inventei de fazer um comentário - sabendo que chegaria para algumas pessoas. Disse:

"Não esqueçamos que ser cristão é também reter o que é bom. Sendo assim, espero ver mais cantoras brasileiras sendo autênticas no seu cantar assim como a Amy W. e menos IMITONAS da chata Ana Paula Valadão.

Também não podemos perder de vista que Deus nos chamou para esses "lixos humanos"[termo infeliz] preciosos para Deus. Ou vamos simplesmente passar ao largo?"

Um deles deu aquelas respostas prontas, do tipo 'prefiro ouvir a Ana - pelo menos ela louva o Deus que a Amy não quis'.

É por essas e outras que estou fora da instituição. Continuo achando que vale mais a pena ouvir a boa música brasileira (infelizmente nesse rótulo poucos cristãos entram) e as Amys.

Ah, indiquei teu texto pra ele. Afinal, vamos levar chumbo juntos.

Levi Nauter

Alice disse...

è isso aí !!! e se Deus a ama, nós a amamos tb !!

Anônimo disse...

se temos a boa e santa lei pra q amar?
a lei nos dá segurança e culpa.
o amor não. o amor perdoa, q q é isso?
e pra valer de verdade tem q ser incondicional. ai é difícil demais.
com a lei posso por o dedo na ferida do irmão sem problema.
como é q posso fazer isso em amor?
sendo hipócrita?
bom, ai tudo bem.


joão ali

wilson tonioli disse...

Valeu Levi. Chumbo é até melhor que pedra.
gde abç.

Alice, captou.

Ali, meu querido sem-lei, aprendi muito do amor com vc, não venha com conversa mole.
abç