quarta-feira, 25 de abril de 2012

Dica do Dr. Tinho

No último sábado, o Dr. Tinho (Especialista em divertirculite) foi visitar na UTI da Ortopedia do HC, a Eliana Zagui.
Ela mora lá. Isso mesmo, há 36 anos.
Ela escreveu esse livro aí. Se você comprar, Dr. Tinho leva pra ela autografar.

Sinopse:
O que você faria se sofresse de paralisia do pescoço para baixo desde a infância, morasse em um hospital e visse seus pais no máximo duas vezes por ano?
E se durante muito tempo seu único contato com o mundo exterior fosse por meio de um aparelho de TV? Como reagiria caso ouvisse os médicos que cuidam de você dizer que não sobreviveria à adolescência? Muitos iriam se entregar. Eliana Zagui decidiu viver.
Vítima de poliomielite por volta dos dois anos de idade, Eliana chegou ao Hospital das Clínicas de São Paulo em janeiro de 1976.
Depois de dois dias vagando em busca de um diagnóstico em hospitais do interior, seus pais ouviram que a menina contraíra paralisia e tinha pouco tempo de vida.
Sem recursos, foram salvos pela dedicação de uma enfermeira e pela carona de um fazendeiro generoso.
A viagem até São Paulo, feita às pressas, foi incapaz de compensar o tempo perdido. O vírus da pólio havia comprometido a musculatura de Eliana do pescoço aos pés.
O diafragma também fora afetado. Ela foi levada ao pulmão de aço, máquina que exerce pressão negativa sobre o tórax para facilitar a respiração.
O resultado, insatisfatório, condenou Eliana a usar o respirador artificial para sempre. A UTI do Instituto de Ortopedia e Traumatologia tornou-se sua casa desde então.

3 comentários:

Rubinho Osório disse...

E eu ainda reclamo da vida que tenho, miserável homem que sou!!! Tanta superação faz a gente se sentir pequeninho. E grato por esses exemplos de vida abundante.

wilson tonioli disse...

Oi R Osorio!!
Esta é a reação geral e natural de todos. Mas não podemos nos conformar. Tem muita coisa boa que a gente ainda pode fazer.
gde abç

Martin disse...

Este livro em ortopedia e
traumatologia

é muito bom. Eu recomendo!