sábado, 30 de maio de 2009

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Vejam Vocês os Vivos


Impressionante como esses quadros de Vocês os Vivos, do diretor Roy Andersson, ficam na cabeça da gente. Quadros, pois foi a impressão que tive quando assisti ao filme que, mesmo sem ter uma continuidade, apresenta a vida desses humanos como se fosse em quadros que ganham vida dentro de uma mesma exposição. Personagens quase inertes, quase sem vida, mas absurdamente envolvidos pelo mesmo fio da vida. Somos nozes.
Vale muito a pena conferir.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Fusão de gigantes (2)

Renascer com Bola de Neve


c Ótimo ( ) c Excelente ( ) c Genial ( ) c demoníaco ( )

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Fusão de gigantes

Universal com Lagoinha
c Ótimo ( ) c Excelente ( ) c Genial ( ) c Demoníaco ( )

terça-feira, 19 de maio de 2009

Via de barro

Sob a cama há um par de chinelos
deixados sempre após mais um dia;
sob eles o barro que marca uma via
pela casa e pelo mundo de flagelos.

A vida é uma cena que se repete:
do mancebo para as costas o agasalho,
a folha que se desprendeu do galho,
cada qual no papel que lhe compete.

A melancolia foi feita de outonos.
Quando o portaozinho da casa rangia,
delatava-me que à rua eu fugia...

Perder contato das coisas banais,
como se esquecem as cenas iguais,
faz-nos perder da esperança o tonos.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Pele Verde


Isto é o trailer de um documentário bem especial da Amazônia que nosso amigo Ralph Friedericks ajudou a produzir. A Amazônia na lente dos próprios moradores.
Vale a pena entrar no peleverde e acompanhar todos os episódios.

sábado, 16 de maio de 2009

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Um palíndromo

OH... COM ÓCULOS MÓ CARO ED RENE
É NERD E ORA COM SOLUÇO MOCHO.

Não é nada contra o pastor, nem tampouco deva ser verdade, mas palíndromo é assim mesmo; pinta.
E eu perco o amigo, mas não perco o palíndromo.

domingo, 10 de maio de 2009

Imbastável

Não basta ser filho de Deus?
Tem que se sacrificar?
Não basta amar a Deus,
tem que se esfolar.
Não basta amar o irmão,
tem que julgar.
Não basta abraçar,
tem que orar, ungir, abençoar...
Não basta consolar,
tem que converter.
Não basta ler um verso,
tem que catequizar.
Não basta fazer amigo,
tem que fazer prosélito.
Não basta pregar,
tem que apelar.
Não basta cantar,
tem que adorar.
Não basta ser filho de Deus,
tem que provar.
Não basta ver,
tem que ter revelação.
Não basta sonhar,
tem que ter visão.
Não basta ser,
tem que poder.
Não basta crer,
tem que ser evãgélico.
Não basta servir,
tem que ser grande obra.
Não basta Graça,
tem que ter dom.
Não basta ser filho de Deus,
tem que ser bom.
Não basta pensar,
tem que concluir.
Não basta chorar,
tem que se abrir.
Não basta conversar,
tem que edificar.
Não basta a arte,
tem que ter propósito.
Não basta ajudar,
tem que ter depósito.
Não basta uma função,
tem que ter unção.
Não basta dar pão,
tem que dar sermão.
Não basta ser um homem,
tem que ser de Deus...

Não basta ser filho de Deus?
Tem que dizer amém?

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Missão Super Hiper Importante

Aí amigos, segue uma dica super hiper legal:

O Luis Louis (meu prof. de teatro físico/mímica) dirige a peça infantil Missão Super Hiper Importante, que conta a história de três amigas que vão para uma ilha deserta, a Ilha da Caveira, para encontrar um livro encantado que irá revelar um grande segredo. Nessa ilha, elas precisam juntar pistas, passar por lugares perigosos, enfrentar seus medos, tudo para encontrar respostas sobre seus questionamentos. Lá, elas também descobrem o valor da amizade, da alegria e das brincadeiras.
Concebido pela Cia. Luis Louis, o espetáculo faz parte do 2º Manifesto da Mímica Total, que tem como foco a dramaturgia embasada em pesquisas feitas pelo grupo nas áreas de teatro, performance, cinema, música, artes plásticas, arquitetura, semiótica, ciência e filosofia.

Está lá no Teatro João Caetano, até 31/5/09, aos sábados e domingos 17 h.
É o tipo da montagem infantil que adulto também adora ver.

Com: Lene Bastos, Jô Rodrigues e Natália Lopes.
autoria: Lene Bastos / Direção: Luis Louis / Figurino: Fause Halen / Trilha Son.: Fernando Mastrocola / Produção: Reinaldo Vilela.

ca FÉ com LEI te (15)


?ergunte ao ?astor

158. Um homem fraudulento é um adulto que não cresceu?
159. O crente que seduz o outro tem o dom Juan?
160. O livro de Macabeus não entrou para o Canon pois má-cabeu?
161. Emanuela é “A Deusa conosco”?
162. Havia sal no pão de Ló?
163. Um crente eleito pode sofrer impeachment?
164. O deus Mamon liberta da prisão de ventre?
165. Isolda seria mais feliz se amasse Contentão ao invés de Tristão?
166. São Tomé das Letras foi parceiro de São Judas dos Número$?

quinta-feira, 7 de maio de 2009

terça-feira, 5 de maio de 2009

Um palíndromo

REV. ED, O DEMO É O MEDO DE VER...

Recall Teológico (3)

A Igreja Evãgélica Luz Nunquédemais anuncia um recall em vários modelos de crentes que foram montados em sua fábrica no período de 1974 a 1979, para reparação na lanterna da reputação traseira, bem como aos modelos equipados com faróis-de-neblina-de-revelação, de série.
Foi constatado que houve uma exacerbação na utilização das lâmpadas tipo halógenas-videntes tanto nas lanternas traseiras, como nos faróis, o que provoca ofuscação grave àqueles que estão ao entorno do irmão.
Esta condição, ainda de acordo com o comunicado, faz projetar intensa luz não apenas no futuro, como também no passado, criando a ilusão ao crente montado com esse desvio que absolutamente nada lhe passará despercebido e de que não possa vir atinar.
Com a luz traseira ligada, pode confundir os que trafegam atrás dele, causando a falsa impressão a esses, de que está sendo realizada uma manobra em sua direção e, logicamente, não são todos que gostam de ter o seu caminho exposto. Isso acarretará acidentes.
Em último lugar e de não menos importância, vem o descarregamento total da bateria. Neste caso, o cristão não pegará nem no tranco, uma vez que já comprometeu o próprio relê de recarga tendo que iluminar não apenas o seu, mas também o caminho do outro.
A Igreja procederá, com aqueles que ainda estiverem em condição, trocando as lâmpadas tipo-ofuscante pelas tipo-realista, que não atravessam as neblinas nem se projetam num raio extenso, mas encaram e aceitam melhor os trechos nebulosos.

Pr. Ney Blina Estrada
Gerente de fábrica

segunda-feira, 4 de maio de 2009