quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Across The Universe... Nada mudaria meu mundo

Esse aí do vídeo é meu filho Filipe. Fanático por cinema e Beatles. Imaginem o que acontece quando alguém junta esses dois ingredientes num mesmo bolo... Foi o que aconteceu com Across The Universe, um dos filmes da 31ª Mostra Internacional de Cinema. Para se ter uma idéia, enquanto muitos não conseguiram ingresso para nenhuma das exibições, o Filipe assistiu duas vezes.
O filme é muito bonito mesmo. Romântico e com boa dose de melancolia. Verdade que o óbvio está bem presente nesse musical, mas presente também um perdão óbvio em nome da força das imagens e dessas canções insuperáveis.
A música que dá nome ao filme traz o refrão: nada vai mudar meu mundo... É paradoxal dizer, mas espero que esse mesmo veredicto, dê forças a meu filho de lutar pelas coisas boas e belas da vida, e não perder a fé num mundo vindouro que ele mesmo ajudará trazer.

http://br.youtube.com/watch?v=Uy8f_bRZDIQ

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

sábado, 27 de outubro de 2007

Muita Areia pro Meu Blog


Natália Guimarães – madrinha 2007 da campanha “Charme das Estrelas”.


Mudei o titulo deste post que seria "Charme das Estrelas" para esse que está aí, pois não conseguia fazer o upload dessa imagem e no final dava "pau". Parecia que estava bastante pesada... Como não consegui carregar de uma vez, fiz várias viagens.


Seguinte: participei no último dia 22 do evento promovido pela Campanha “Charme das Estrelas”, que é fruto da parceria entre a Morana Acessórios e a Fundação Ação Criança(http://www.acaocrianca.org.br/). O convite que recebemos é por conta da parceria que há de nossa Creche C.E.I. Pari – Projeto Raízes (http://www.projetoraizes.org.br/), com a Fundação Ação Criança.A festa, que acontece todos os anos, visa divulgar as peças exclusivas desenvolvidas pela Morana para o projeto beneficente e assinadas por celebridades. O brinco dessa edição vai ter parte da venda revertida para a Fundação Ação Criança durante um ano inteiro.

Então você chega em meio a um ti-ti-ti, com a imprensa descarregando suas metralhadoras de fotos pra todo lado – até eu fui atingido várias vezes... Só fico me perguntando, em que lixo serei descartado pelo auxiliar do fotógrafo, quando após a revelação, olhar pra minha cara com ar de “quem é esse cara?”, e confirmar com seu chefe que não se trata de ninguém.
Lá dentro – este ano foi no Espaço Traffô – separados dos convidados em um espaço com divisórias de vidro, estão as “celebridades” – não estou certo do significa exatamente esse termo, então o coloco entre aspas para estudá-lo melhor – “celebridades” como: Paulo Zulu (um cara bem simpático), Carlos Casagrande, Rodrigo Veroneze, Babi Xavier, Preta Gil, Isabel Fillardis, Sergio Abreu, Alemão... Estão lá para tornarem o evento mais atraente e divulgarem seu apoio à campanha, que acredito, o fazem de forma voluntária.

Mas é muito estranho, você ficar olhando pessoas atrás do vidro como fossem... Peixes; ornamentais claro, embora estivessem uns fazendo a unha, outros a sobrancelha, massagens, maquiagem, etc. Eu, como não conheço essas “celebridades”, – só reconheci o Zulu e o Alemão - muito menos minha esposa que me acompanhava, perguntava a um(a) e a outro(a), quem era quem ali naquele emaranhado de câmeras, fios, flashes. Desisti de ficar adivinhando quando, ao acompanhar uma pessoa ali dentro do aquário eu fiquei me dizendo: “esta eu conheço de algum lugar...”, até que ela pegou no secador de cabelos e continuou seu trabalho numa “célebre cabeleira”: era só mais um cabeleireiro.
Aí vem o leilão das peças, que são apresentadas em um desfile com as “ “. (interessante, me dei conta agora que as próprias aspas se parecem com bonitos cílios das celebridades). Conduzido pelo enorme Luciano Faccioli, - que todos temiam que pisasse em uma “ “ - o leilão arrecada fundos para a Fundação. Que as crianças aproveitem bem essa grana. O brinco com a miss foi arrematado por R$1200,00. Acreditem, o lance inicial foi meu, R$300,00.
Valeu mesmo foi conhecer, tirando fina de mim na passarela, a miss Brasil 2007 Natália Guimarães (foto). Quem é desenhista como eu, supõe que ela seja só um desenho, onde você franzi a testa e as sobrancelhas, mirando bem os olhos tentando descobrir onde está o truque daquela imagem...

Ano que vem tem mais.


Deus salve as estrelas, mesmo as que já se extinguiram e que nossos olhos ainda nos iludem.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

sábado, 20 de outubro de 2007

Como Enterrar Um Talento


Pegue um filho, teu de preferência.
E logo no primeiro momento,
coloque na cabeça dele
que não deve enterrar seu talento...

Que há um Deus que tudo vê,
justo, e em tudo está atento;
não está aí pra brincadeira
e que vai cobrar o seu talento.

Matricule-o na escola bíblica,
de professores tipo monumento,
de placas, poses e bustos,
que lhe ensinarão o que é talento.

Cuidado na hora de regar:
Bíblia não rima com pensamento,
deve rimar com a santa homilia,
de que não deve enterrar seu talento.

Não hesite de fazer umas podas,
a evitar um livre crescimento;
lugar de dons é na igreja,
onde não deve enterrar seu talento.

Se vierem as pragas das dúvidas,
aplique demãos de ungüento;
agrotóxico necessário
para não enterrar seu talento.

Feche as portas e janelas.
Não o deixe exposto ao Vento...
Nem perto de outras mudinhas,
que só fazem enterrar seus talentos.

Buscar a igreja em primeiro lugar,
quando a seca lhe tirar o alento,
quando a sega lhe tornar mais um
dos enxertos do jardim dos talentos.

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

O início e o quase-fim

Conheça um pouco a Associação Projeto Raízes:
O Integrarte, na Pompeia-SP (atendimento diário de aproximadamente 120 pessoas em situação de rua)
E a Creche no Pari, com 185 crianças.
Bom, não preciso dizer qual é um e qual é o outro nessas fotos.

O comecinho e o finzinho da jornada. O Reino de Deus nos dá alento a lidar com ambos os momentos.





terça-feira, 16 de outubro de 2007

domingo, 14 de outubro de 2007

EDIFÍCIOS

É difícil compreender, mas engraçado pensar: no que se transforma um edifício que um dia foi uma igreja evangélica. Sei que os evangélicos não gostam destas terminologias, mas vou falar: parece que há uma energia excedente que continua no prédio mesmo após a saída da igreja, que, por assim dizer, força uma cumplicidade na futura atividade que ali se instalará.
Vejamos se com exemplos serei mais feliz em explicar tal fenômeno.

Onde era uma igreja evangélica, hoje “funciona” um Varejão de frutas. Pensei: A comunidade deu tantos frutos que agora no lugar dos apelos do pastor tentando vender um evangelho suculento, há muitas bancadas de frutas já quase passadas se submetendo aos apertões de senhoras exigentes, não querendo ter um desarranjo intestinal em troca de baixo preço.

Onde era uma igreja evangélica, agora é um Instituto de idiomas. Aí penso: A igreja falou tantas línguas – não estou me referindo ao Carisma, mas à confusão de mensagens e interpretações, como em Babel – que agora, no lugar dos diversos caminhos e soluções apontados pela comunidade, há um único caminho apontado para o sucesso que é aprender uma another língua e cair fora desse país.

Onde havia uma igreja evangélica, hoje funciona uma serralheria. Penso: a igreja criou tantas legislações, que hoje, ao invés de um conselho ditando normas e aprisionando os espíritos, há um homem de máscara e revolver de solda na mão, construindo grades e portões de lanças.

Onde havia uma igreja evangélica, hoje há uma farmácia. Penso: de tanto a igreja prescrever fórmulas de cura, agora, onde havia um ancião ministrando soluções, há um farmacêutico manipulando remédios para todos os males.

Onde Havia uma igrejinha evangélica, abriram uma lojinha de R$1,99. Penso: alguns crentes confundiram tanto o que é de Graça com o que é banal, que hoje há comerciantes ali vendendo tudo o que é quinquilharias quase de graça, dando a ilusão ao cliente de que saem fazendo sempre bom negócio.

Onde operava uma igreja evangélica, hoje é um Banco: bem, acho que não é preciso dizer o que pensei...

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Prego Rego Ego

Apóstolo após tolo...

Assembléia leia eia!

Ateu teu eu.

Celebrando brando ando.

Compromisso compro omisso isso...

Comunhão com munhão hão!

Conversão versão ver são.

Crente rente ente.

Gratos ratos atos

Igreja reja já.

Imagem age em...

Inspiração pira ação!

Liturgia urgia ia.

Mártires tires rés.

Oração ração ação!

Pastora tora ora.

Pentecostal costal os tal...

Predestinada destinada nada...

Pregador regador dor.

Prego rego ego...

Protestante testa ante.

Recompensa compensa pensa...

Reclame clame ame.

Revelação elação lação.

Talento alento lento.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Para Patrícia (1969-2007)


Sentada num banco



Recostada à parede,
sentada num banco,
assim eu a vi
na última vez que a vi.
Olhando pro longe,
um horizonte, por certo
não era o meu,
nem era o teu,
talvez o dela e só o dela.

Nem estava tão longe,
nem tão recostada;
não estava olhando
e nem era horizonte
o horizonte que via,
talvez era o meu
que ela iludia.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

A faxina do teatro

Vou retomar os posts, eu prometo (principalmente pra mim mesmo).

O teatro tem "acabado" comigo. Tenho mexido tanto com o corpo que não há idéia que pare no lugar. Estava precisando mesmo de uma limpeza essa minha cabeça. Estava guardando idéias que jamais usaria... Só ocupando lugar. A prateleira dos dogmas, como é metálica e bem carregada, é a que dá mais trabalho, mas também já está quase limpa.
Quando alguém vai inventar um encéfalo-scanner: você coloca a testa, sei lá, no aparelho, seleciona a ideia e ela é diretamente digitalizada, e melhor, organizada.

Opa, umas pastas acabaram de cair... Vou ali já volto.