sexta-feira, 29 de julho de 2011

O Reino do Faz com Graça

(Discurso de formatura de Palhaços da ONG canto cidadao, que visitam hospitais, chamados Palhaços Cidadãos)

Permitam-me só uma explicaçãozinha:
A gente aprende que toda vez que for usar uma máscara no rosto deve-se ter respeito por ela. Isso significa que tudo no nosso corpo deve mudar quando estamos com ela. O olhar muda, o sorriso muda, a fala muda... Enfim, não somos o mesmo corpo com as atitudes normais do cotidiano. Não se pode colocar uma máscara e continuar sendo o mesmo.
O nariz é a máscara do Palhaço. E porque resolvi tirá-la agora?

Uma das principais lições que aprendemos aqui no Canto Cidadão, em quase um ano de capacitação, é que podemos e devemos levar alegria e graça mesmo sem o nariz, como se o mundo fosse um grande hospital, com a diferença que nesse “hospital” não nos relacionamos com pacientes, mas com impacientes.
O nosso mundo é um lugar de pessoas que sofrem do câncer do egoísmo e da indiferença e que em algum momento as pessoas começaram a acreditar na cancerígena idéia de que o mundo é dos espertos.

Estamos aqui hoje para dizer que o mundo não é dos espertos... O mundo é dos expostos! É daqueles que tem a coragem de se expor, de se entregar, de se envolver, de sofrer... O mundo é daqueles que o amam (“quando se aprende amar, o mundo passa ser seu”. R.Russo). O mundo é Daqueles que são capazes de pagar qualquer mico para vê-lo um pouco melhor refletido na vida das pessoas com sua cidadania, justiça, liberdade e dignidade restabelecidas.

E pagar mico é com gente mesmo, Palhaços Cidadãos, que não achamos que podemos ajudar por presunção, mas por vocação. É vocação do Palhaço ter graça para distribuir, e de graça. É vocação do Palhaço resistir às conformações estabelecidas. É vocação do Palhaço trazer cores, luz, sabor...
Outro dia no P.S. do H.C., uma paciente pediu encarecidamente ao Dr. Tinho, um pouquinho de sal para por na comida; todos nós sabemos que comida de hospital é uma delicia... Sal nós não podemos dar, porém podemos ser o sal. Isso cheira a presunção, mas não é; é nossa vocação! É nossa missão! Se Palhaço já mete o nariz onde não foi chamado, quanto mais naquilo que foi.

Porque nós Palhaços acreditamos em um Reino de Fantasia, não a fantasia do faz-de-conta, mas a poderosa fantasia do faz-com-graça. A graça abre a janela das possibilidades. Ao Palhaço não cabem utopias; ele nem as conhece. Ao Palhaço tudo é possível, pois sua graça é sua força milagrosa e arrebatadora.
Se há uma coisa que me enche de medo é um dia acordar sem graça.

E se falo tudo isso sem a máscara é para tentar mostrar que é possível emprestar do Palhaço essa vocação e levar junto comigo para a vida. É possível para esses Palhaços que estão aqui... É possível a vocês também, nossos amigos!

Este não é absolutamente mais um discurso piegas e desgastado de inocentes querendo melhorar o mundo, nem de agentes do politicamente correto que coube muito bem a uma sociedade cínica e hipócrita; mas é o clamor do Reino do Faz com Graça que há de imperar por onde pisar nossos incríveis sapatões!
Agradecemos ao Canto Cidadão pelo acolhimento. Amamos este lugar e as pessoas que fazem dele o que ele é; mais do que um espaço sob um viaduto: um Canto inteiramente exposto.

Muito obrigado!

Dr. Tinho da Silva
especialista em divertirculite

domingo, 24 de julho de 2011

segunda-feira, 18 de julho de 2011

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Livrai-me da criptonita...

Putz! A coisa tá feia!

quinta-feira, 7 de julho de 2011