sábado, 29 de novembro de 2008

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

O Trema - a cena


Esquete apresentada no II Forum Cristianismo Criativo da Editora W4.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Um palíndromo


ASSIM EDIR RI DE MISSA.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Neurásticas Eclesioses


Esse é o novo livro do meu compadi Karl Kepler,
que você pode baixar aqui, sem neuras.
Uma pequena análise da situação dos crentes nas igrejas evangélicas brasileiras e dos casos de neuroses instaladas em nome de Deus, acompanhada de um caminho para seu tratamento e cura pelo próprio evangelho.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

CPTM

Com putas, travestis e machos,
meu rosto na gota de suor
que escorre do rosto
dum próximo qualquer,
eu via e sentia o gosto.
Uns poros que abrem e fecham
no ritmo da respiração,
quando todos os pelos
que pelo peito dançam
na coreografia cansada,
no parco foco de luz,
sobre cenário feio e vivo.
Embebido eu fico,
mas sem poder aplaudir,
pois não sei onde,
pois não sei como
minhas mãos estão;
se em contato comigo,
ou descansando em dorsos,
nádegas, coxas...
E o vão que separa vagão,
clama sempre, não em vão;
alguém vai lhe atender,
da segura plataforma ou,
d’ aventura da composição,
alguém vai lhe atender...
O cheiro suave
e a brisa fétida;
o ar que nos falta,
a voz que adverte.
Luxação no ombro,
unhas encravadas;
a pressão elevada,
a mulher desmaiada.
Falta energia.
Sobra energia.
Parabéns a vocês
nessa data querida,
a voz que adverte
apaga as velinhas,
comemora-se as mortes
das sufocadas crianças;
dos crucificados
presos às barras;
dos guilhotinados
presos às portas;
dos linxados
presos à vida.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Você na Cena - Jornada CPPC

Participação do Você na Cena na Jornada Anual do CPPC/SP (Corpo de Pisicólogos e Psiquiatras Cristãos) neste último sábado. O tema era “Pessoas em Situação de Risco e Vulnerabilidade Social – Ações Possíveis” Os conflitos e dificuldades de pessoas ligadas à ONGs ou projetos sociais. Você na Cena é a trupe da igreja Projeto Raízes que vem estudando e apresentando o Teatro de Reprise que é um teatro interativo, baseado no improviso, cuja platéia devidamente aquecida trás situações que serão brevemente encenadas.
Filipe Tonioli, Fábio Davidson, Luciana Lira, Luciana do Vale, Marcial Cortez e Wilson Tonioli – direção de cena (em baixo) . Faz parte também do elenco a Andrea Saba que não estava nesse dia.

Uma cena.

Aqui o protagonista entrou no final.
No canto em baixo a Helena Tonioli - direção de platéia - acolhendo a protagonista da cena, que nesse teatro fica se vendo. (às vezes pode ser convidada a entrar no palco, mas sem jamais ser exposta)
Completam o grupo:
João Ali e Carlos Eduardo: Som/video/luz
Paulo e Susana Rocha: Música
Se quiser conhecer mais de perto o trabalho, venha fazer uma oficina com a gente e, se tiver mais coragem ainda, nos convide para um evento.
obrigado

sábado, 8 de novembro de 2008

Tédio


Vejam o que consegui.
Desde bebezinha já trazia um ar de enfastiada.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Abestinência

No que tange à mediocridade, posso dizer que estou no estado de abestinência. Há alguns anos freqüento o M.A. – Medíocres Anônimos. Aproveito o tema desse ano do Fórum da w4editora para confessar: sou um dependente de mediocridade. Confessar é sempre terapêutico.
Não tem sido nada fácil e cada dia é um dia para se vencer. Tenho revelado ali, junto com outros companheiros, meu testemunho de como fui iniciado nessa droga, os apelos e as armadilhas nas quais, qual um animal selvagem, feroz, mas ingênuo, caí.
Tenho dado muito trabalho aos meus familiares e amigos. Aos inimigos, gozo e preocupação. O primeiro caso quando tenho as recaídas, o segundo quando junto forças e digo: “hoje não vou ser medíocre”.
Só pode falar com propriedade sobre algo quando se vive ou se viveu no algo. Vou tentar. (se estivesse em uma das reuniões do M.A., seria encorajado com aplausos agora)

Há um ciclo, cuja circunferência varia na sua extensão de acordo com o histórico de cada um. Lembrem-se: um ponto de vista é sempre a vista de um ponto.

- A necessidade desesperadora de um talento.
Unzinho que seja, mas você precisa ter. Inexoravelmente você fica convencido disso e convertido a isso.
- O surgimento do “artista” dentro.
Alguém lhe oferece um espelho mágico no qual você contempla o “artista”.

- A retroalimentação do “artista”.
Os aplausos, tapinhas nas costas, “Deus te abençoes”, etç, vão alimentando a sua “arte”.

- A talentalidade sobrepondo-se à genialidade. A técnica à arte.
Nessa fase você acredita que talento e técnica levam necessariamente à arte e está mais comprometido que nunca com a mediocridade. Nessa etapa é que precisa reconhecer que precisa de ajuda. O terrível nessa dependência é que os amigos e irmãos não podem te ajudar e sim os inimigos. Mas quem pede socorro a um inimigo?
(“A mediocridade é a arte de não ter inimigos” – Sofocleto)

Mas se, em chegando até aqui você ainda não reconheceu que precisa de ajuda, das duas uma: Ou aquela pontinhazinha de arte que existe no teu ser é enterrada de uma vez sob o entulho do elogio rotineiro e você se torna um “grande artista”, um “médio crê”.
Ou, qualquer hora você tem uma overdose de mediocridade e se vê no chão da cozinha, o espelho quebrado, dando gargalhadas de angustia e queimando suas “obras de arte”.

Qualquer hora destrincho mais isso aí. Agora tá na hora do meu remédio(cre).



terça-feira, 4 de novembro de 2008

sábado, 1 de novembro de 2008